sexta-feira, 28 de novembro de 2008

upstairs


8 comentários:

daniloz disse...

quando eu tinha uns 8 anos, minha mãe me levou ao cinema para ver a bela e a fera, foi demais porque fomos de ônibus até o shopping iguatemi e tal. mas o que mais me impressionou foi um trailer, em que uma mulher (que depois descobri ser a madonna) fica uma música inteira subindo uma escada, cantando e subindo a escada, que dá umas voltas em torno de si mesma, e a escada sobe, sobe sobe... subia tanto que perguntei para a minha mãe o que acabaria antes, a escada ou a música. naquele tempo não conseguia entender que não interessava se a escada acabaria ou não, mas foi totalmente absurdo para mim pensar que uma mulher estaria subindo uma escada infinita cantando.
pois bem, esta sua escada me lembrou tudo isso, heheh.

Beá Meira disse...

Danilo,

Só mesmo a Madonna para cantar, dançar e subir as escadas ao mesmo tempo. Eu nunca vi este clip mas adorei esta idéia de permanecer infinitamente para cima! E fico muuuito feliz com a sua lembrança e este pensamento "elevado".
Ainda mais que a escada surgiu aí na sua "queda": http://barcacadearenque.blogspot.com/2008/11/queda.html

Rene Fijten disse...

Like Eisensteins Odessa stairs

Beá Meira disse...

Rene,
Eisensteins Odessa stairs are downstairs, isn´t it?
I am interested to catch some thing to carcterize the up moviment.

transpassado disse...

Beá,

Me chamou atenção o degrau maior, bem quando a escada faz uma curva pra esquerda. Pra mim ele é o degrau chave: se passar por ele, pode continuar subindo toda vida, feito a Madonna...

Beá Meira disse...

Ricardo,
Acho que pode mesmo ser uma alegoria para vida. As vezes uns degraus parecem maiores que os outros. Mas o que muda é o ponto de vista. Depois que já subimos, os degraus parecem insignificantes.

Rene Fijten disse...

You were right, in the film the militaries push the revolutionaries down the stairs, I had forgotten that.
It is difficult to draw upgoing stairs, essentially stairs are indifferent whether up or down. But living objects want to go up, inanimate objects want to go down. I wonder: did Eisenstein mean that the military was like an inanimate force, something like a rolling rock crushing everything in its way?

Beá Meira disse...

Rene,
I went to you tube to review Eisenstein antological Odessa stair: (it is great, strong emotion once more) http://www.youtube.com/watch?v=J74IKt8rxkQ
It is true, everything is going down, people, military, the car baby, just the mother try to go up, but she drop dead. You are right, things naturally go down. Is the gravitational attraction. This is the challenge about to depict up movement.