segunda-feira, 18 de outubro de 2010

água, para começar o caderno grande

7 comentários:

Tito Peçanha Leitão disse...

é aquele caderno grande? oba!
me lembrou a banheira da frida kahlo...

Beá Meira disse...

Exatamente Tito.
Inaugurei finalmente!
Eu fui para Àguas de lindóia no mês passado e relaxando num banho de sais, lembrei da pintura "O que vi na água" da Frida. Eu com toda a minha superficialidade só vi a água, transparente e relaxante.

angèle disse...

Na verdade o texto deveria ser: "eu, com toda a minha leveza, transparência e tranqulidade, vi esta água azul, purificante e cristalina. Momento de paz contagiante. " tá?Meninos, eu vi fazendo!

disse...

daqui a pouco vai ver fazendo o mar!

saudades do duplas!

Beá Meira disse...

Querida Angèle,
Viu fazendo, viu a Frida e ouviu a história ao vivo. Sabe outro dia numa aula de filosofia o professor disse que o modernismo era um movimento voltado para o futuro e que hoje estamos mais ligados no presente. O modernismo era o tempo da arquitetura e hoje é o tempo do ritual. Você tem razão a minha banheira estava cheia do presente.

Beá Meira disse...

Bê,

Vamos reeditar o duplas, num blog colaborativo. Podemos convidar outras pessoas e cada semana alguém propõe um tema visual e os outros "postam" uma carta.
O que acha?

disse...

já topei!