sábado, 5 de abril de 2008

querida madeira, eu amo a mamãe e o papai

6 comentários:

disse...

Beá, esta pintura ficou legal!
já gostava desta sua escultura, agora ambientada e comentada ahaha, muito legal!

Beá Meira disse...

Bê,
Semana passada dei uns restos de madeira para as crianças desenharem. A Maria ficou com um pedaço comprido de 1,80 m x 12 cm.
Num ato absolutamente espontâneo, pegou acaneta e escreveu com uma letra toda caprichada:
Querida madeira, eu amo a mamãe e o papai.
Neste mesmo dia ela tinha feito este boneco verde, juntando com durex um manequim feminino e esta cabeça verde de um boneco quebrado.
Eu só fiz o de sempre, registrei.

M.J. disse...

Nossa, tem uma coisa alí meio erótica, não?
Tô vendo coisas?

Beá Meira disse...

Maína,

É A máquina de mover o mundo. Uma assemblage que fiz no século passado. Consiste no torso de uma boneca de porcelana fixa numa peça da lanofix que serve para fazer novelos (esta manivela que gira um pênis de madeira). A Bê acrescentou um ninho-semente de fio de cobre ao conjunto e colocou na janela.
Ficou lindo, mas a faxineira deixou cair...

M.J. disse...

Hum, interessante...quem move quem move quem move quem move quem move..

Beá Meira disse...

Maína,tem mais alguns detalhes:
A moça está colocando uma aliança no dedo e eu pintei uma aureola no topo da cabeça.
O boneco feito pela Maria é totalmente andrógino.
Não sei quem move, é a dança de shiva, não tem começo nem fim, apenas recomeça.