sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

atlântico negro

7 comentários:

LizandraMA disse...

Nossa, como o blog aumentou desde a última vez que te visitei (faz tempo...). Sempre bom lembrar daquele momento de projetos e longas conversas. Também tenho meus rabiscos, coloquei você lá. Beijo, Lizandra

Beá Meira disse...

Lizandra,
Adorei os textos que li no mundo líquido.
Tento postar uma página por dia. Para entreter os frequentadores mais assíduos.

transpassado disse...

muito musical esse mar!! as notas musicais me lembram pombos debruçados sobre fios elétricos!

Beá Meira disse...

Ricardo,

Você viu que no marcador tem a palavra som?
Eu fiz esta imagem quando estava escrevendo sobre a força da música afro e o poder da cultura do atlântico negro.

transpassado disse...

Não tinha reparado esse marcador! Mas a associação com a música foi instantânea. As costas da América e da África dão um "balanço" tão suingado ao quadro que a idéia só podia ter a ver com música - e africana!!

Beá Meira disse...

Pois é,
Eu adorei o texto do Hermano Viana, porque fica bem claro, que a música negra contaminou tudo no universo sonoro do ocidente a partir do século XX.
Fico muito feliz se consegui transmitir pelo menos o suingue.

Anônimo disse...

Nossa,Beá.
Esse trabalho canta, grita, confunde, embaralha, envolve, respira.
Que bonito. Que forte.

Beijo
Ricardo Velasco