sábado, 1 de dezembro de 2007

um poema para cada janela


7 comentários:

disse...

adorei o nome, cada janela um poema, é, gentil... nos remete a uma relação gentil de vizinhança

Beá Meira disse...

Bê,

Eu também adorei este nome, é de um poema do Heitor Ferraz:

Rui era bem mais velho
Tinha todos os discos
Que queríamos ouvir
Na varanda de sua casa
Uma varanda mínima
Que se abria de seu quarto mofado
Ficávamos ouvindo música
Fumando cigarro
Ele tinha um projeto
Iria escrever um poema
Para cada janela do prédio em frente
(Eles apenas começavam a subir)
Anos depois
Soube que Rui tinha deixado
Os relógios de seu pai
E passara a trabalhar
Numa barbearia do interior
Sempre
Em suas mãos, Rui
Dando corda ao tempo
Ou cortando
O que dá no mesmo.

andréa disse...

oi, beá, amei o poema, amei as janelas. beijos

disse...

que bela fonte, Beá!

queremos um pouco mais de tempo, Rui!

Heitor disse...

Beá, na próxima versão do Um a menos vou colocar essa imagem na capa! Ficou linda!!!
Beijos, H.

Gabriela disse...

Beá, querida!
Tua produção está absurda!
Uma folha mais linda que a outra...
Me lembrei das janelas aqui em frente do meu apê.

Beijo

Beá Meira disse...

Gabriela,

A imagem inventada pelo Heitor bate em todos nós que convivemos tão intimamente com as janelas dos outros.